English
Español
Français
Deutsch
Skandinaviska
Português
Русский

11061 supporters





Para participar de outras campanhas da UITA, clique aqui.


Data atualizada : 23-Sep-2016

Status: closed

© 2018 IUF

This campaign is now closed.
Diese Kampagne ist abgeschlossen.
Cette campagne est close.
Esta campaña ha terminado.
Kampanjen er avsluttet.

PepsiCo responde perante a formação de um novo sindicato no Paquistão, atacando seus direitos

A diretoria de PepsiCo, da fábrica de Frito-Lay em Lahore, Paquistão respondeu no que diz respeito à formação e registro oficial de um sindicato com 650 membros, assediando e transferindo os dirigentes sindicais e tentando violar os direitos de negociação coletiva do sindicato através da criação de um sindicato falso.

Desde que o Sindicato de trabalhadores de PepsiCo foi registrado e obteve oficialmente direitos de negociação coletiva (apenas em Inglês), os dirigentes sindicais têm sido alvo de procedimentos disciplinares por falsas acusações e o presidente do sindicato foi levado para fora da fábrica a fim de evitar seu contato com os membros. A empresa registrou um sindicato nacional falso reivindicando que representa os trabalhadores de duas unidades fabris diferentes com o propósito de desvalorizar a demanda dos trabalhadores de Lahore, para que se estabeleça uma convenção coletiva negociada. Está sendo negado aos membros do sindicato as horas extraordinárias e se faz pressão para que eles se afastem do sindicato.

No início, os trabalhadores criaram um sindicato em resposta ao abuso generalizado de emprego precário, através de empreiteiros de mão de obra, que nega o emprego permanente a operários com muitos anos de trabalho na fábrica.

Um grande número de trabalhadores e trabalhadoras têm empreendido ações de protesto no portão da fábrica, exigindo que a empresa cesse seus ataques contra os direitos e negocie de boa-fé. Vocês podem apoiar essa luta: VOCÊ PODE USAR O FORMULÁRIO ABAIXO PARA ENVIAR UMA MENSAGEM PARA PEPSICO, exigindo à empresa a respeitar os direitos sindicais na unidade de Lahore e que dê um ponto final a sua cumplicidade nas violações dos direitos dos trabalhadores, que foram injustamente demitidos e desprovidos de seu direito de relocação por defender seus direitos em um armazém contratado em forma exclusiva por PepsiCo, em Bengala Ocidental, Índia.